10 chaves para iniciar um tratamento de perda de peso bem sucedido

Está aqui: Home Dietas Dietas de perda de peso para perder peso 10 chaves para iniciar um …
O bom tempo chega, um novo ano começa ou você só quer ficar em forma. É uma época em que muitas pessoas estão com pressa para perder os quilos extras acumulados ao longo de meses ou anos. Esta é uma das perguntas mais freqüentes que os nutricionistas encontram ao longo do ano. Ainda estamos procurando a dieta perfeita e rápida para perder peso sem fazer grandes esforços, mesmo que isso coloque sua saúde em risco.

Se você é uma dessas pessoas, que precisa de um plano de emagrecimento, recomendo que continue lendo este artigo ou que veja o vídeo a seguir, onde dou a você os 10 pontos-chave para alcançá-lo com sucesso e sem grandes sacrifícios.

10 dicas para perder peso
COMECE-SE A CUIDAR HOJE
Ligue agora para 93 218 95 32 ou siga-nos nas redes sociais
Facebook
Twitter
YouTube
Instagram
Você precisa de atenção personalizada?
Na Clínica Alimmenta, você encontrará uma equipe de nutricionistas, médicos endócrinos e psicólogos nutricionais que ajudarão você a alcançar seus objetivos de peso e saúde. Nós podemos ajudá-lo em nossa clínica em Barcelona ou on-line através de videoconferências. Estamos falando?

Atenção online Contato Clínico
1. Defina uma meta clara e realista
Defina-se um objetivo realista e fácil de alcançar. Como? Procurando um método que permita a você perder peso e depois mantê-lo sem comprometer seu status de saúde. Qual é o melhor método que proponho? Mude seus hábitos e aprenda a comer de forma mais saudável , adapte uma dieta ou estilo de vida mais saudável à sua situação ou vida pessoal. Veja a partir desta perspectiva irá ajudá-lo a sentir-se mais motivado, a ter melhor e não sobrecarregado com quantos quilos você deve perder por semana, já que o que você tem que melhorar é o seu comportamento quando se alimenta.

2. NÃO fique obcecado com o peso
“As melhores escalas são as roupas”. Você deve avaliar sua evolução com dados mais objetivos, como roupas, o que mais lhe convier, aquele que você pode usar calças que não entraram antes, sentir-se mais inflamado e leve. O valor do peso varia muito dependendo do momento em que você se pesa, as condições, a quantidade de água que você bebeu, a comida que você consumiu, a regularidade do seu trânsito intestinal, o ciclo hormonal em que você se encontra e até mesmo o nível de estresse que você tem atualmente. Você pode ter um controle do peso, para ver a evolução, mas isso não é diário nem o único parâmetro a ser levado em conta.

3. Distribua sua ingestão em várias cenas ao longo do dia.
O erro que tende a cometer é pensar que as menos calorias são ingeridas melhor . Deixar o café da manhã ou ir para a cama sem jantar não ajuda, pelo contrário, talvez esteja se afastando sem perceber, do seu objetivo. Como se passarmos muitas horas sem comer pode parecer ansiedade ou fome voraz que nos predispõe a consumir alimentos pouco saudáveis ​​que causam um pico de glicose no sangue, que voltará a ter fome em breve; e por outro lado, o corpo interpreta essa situação como um jejum e pode favorecer a adaptação do corpo à economia de energia. O número recomendado de ingestões por dia irá variar dependendo da nossa agenda, costumes e estilo de vida, mas a recomendação para perder peso é fazer mais do que três refeições por dia. Café da manhã completo, almoço e jantar com um lanche no meio da manhã ou um lanche saudável. Também não vale a pena pular refeições para “compensar os excessos” , pois predispomos o corpo à situação discutida e não favorecemos a aquisição de bons hábitos.

4. Aprenda a dizer NÃO e identifique possíveis SABOTEADORES.
O sabotador é aquela parte de você que enfraquece você, dando desculpas para não fazer algo que você quer ou tem que fazer. Você tem que aprender a dizer não, mas também precisa aprender a comer por sua própria decisão, com o conhecimento da causa e não da inércia, não porque a situação leva a isso, ou porque o ambiente é propício para isso. Você tem que aprender a tomar a decisão que mais lhe agrada, a opção que melhor se adapta ao seu objetivo ou à sua situação.

5. Inclua a prática de exercícios físicos em sua rotina diária.
NÃO se exercite como um método compensatório de uma dieta ruim, em caso afirmativo, você acaba levando conta. O exercício físico sozinho NÃO ajuda você a perder peso se também comer mais calorias do que gasta. A prática de exercício físico regular ajudará a perder gordura corporal, evitará adaptar o corpo ao padrão e acima de tudo melhorará sua forma física e sua saúde, pois além disso, o exercício gera endorfinas e traz bem-estar. Procure um esporte que goste, que goste e que não envolva esforço para introduzi-lo em sua rotina diária.

6. Planeje suas refeições.
Faça um planejamento semanal das suas refeições e com base nele, faça a lista de compras. Se a compra não for planejada, é muito provável que você acabe comendo ou picando qualquer coisa que possa prejudicar a qualidade de sua dieta e dificultar a perda de peso. A presença em casa de alimentos não saudáveis ​​aumenta a possibilidade de fracasso, portanto, pode-se dizer que é um fator determinante de sucesso a curto e longo prazo. Vá em frente e tente coisas novas! Não é apenas a frequência de consumo de diferentes alimentos que marca a variedade e a diferença na sua alimentação diária, mas a maneira como você os come e os apresenta. Isso permitirá que você aproveite mais a mudança que está fazendo.

7. Use o método da placa
Quando se trata de planear as suas refeições e jantares, aconselho-o a ter em conta o método do prato que o ajudará a garantir que são equilibradas, várias e limitam as quantidades. Dê sempre preferência, com metade do seu prato, a vegetais crus e cozidos. Com saladas a quantidade ingerida geralmente não é suficiente, então você não deve esquecer de consumir vegetais. Um quarto da placa deve ser proteína na forma de ovos, carne, peixe, frutos do mar, proteína vegetal ou legume eo outro quarto da placa deve ser composto de carboidratos, como macarrão, arroz, batata ou pão. A sobremesa pode ser um pedaço de fruta ou uma sobremesa de leite.

8. Priorizar o consumo de água em comparação com outros tipos de bebidas
É o principal componente do nosso organismo. Manter um bom estado de hidratação é muito importante e recomenda-se beber 1,5 a 2 litros de líquido por dia. Além de ser o melhor recurso para saciar a nossa sede, pode servir para controlar o impulso da fome, contribuindo para que se sinta mais saciado durante o dia.

Leia também: Forscolina ou Forslokin o que é quais os benefícios emagrece

9. Seja coerente e perseverante com seu objetivo.
Não desista com a menor falha no padrão. Pense que é uma mudança de hábitos o que você está fazendo, então você não deve exigir que seja perfeito, mas mantenha-o a tempo e faça pequenas melhorias. Qualquer avanço no seu comportamento, na sua maneira de comer, é um avanço em direção ao seu objetivo que lhe permitirá alcançá-lo e, acima de tudo, mantê-lo.

10. Cuide do seu tempo livre, do seu corpo, do seu descanso e ame-se muito
Faça atividades que sejam agradáveis ​​e que ajudem você a se afastar dos problemas e liberar o estresse. Se a sua vida é cheia de coisas agradáveis, você não precisará estar enchendo seu estômago o tempo todo ou liberar seu estresse com comida. Além disso, viver sem muito estresse é o segredo de uma melhor qualidade de vida. Cuide-se emocionalmente.

Fonte: https://www.valpopular.com/forscolina-ou-forskolin-o-que-e-quais-os-beneficios-emagrece/

Podemos perder peso com a mente: 9 conselhos psicológicos

Nós sabemos, ansiedade e comida andam compulsivamente de mãos dadas. É fome real ou emocional? Suas emoções afetam seu relacionamento com a comida. Como?
perder peso com psicologia
As pessoas que não conseguem controlar seu peso não têm vontade? Se você sente que seu corpo está fora de seu controle, e que sua imagem e sua dieta ocupam 80% de seus pensamentos, você deve olhar um pouco mais e se perguntar o que esses quilos estão escondendo.

9 dicas psicológicas para perder peso
Emoções nos tornam gordos e magros porque a relação entre o que sentimos e o que comemos é direta. Se desmascararmos qual é o problema, nossa mente nos ajudará a perder peso .

1. Descubra o que seus quilos escondem
É sério estar com excesso de peso? Sim, se você sentir que seu corpo está fora de sua vontade . Sim, se é uma exigência estética e você impõe um peso “ideal” à sua vida “ideal”. Sim, se esse problema machuca seu ego. Se este é o seu caso, é hora de se perguntar se o seu desconforto e seus quilos extras estão escondendo algo que não é visto na superfície.

Você tem que aprender a enfrentar emoções sem recorrer a planos de perda de peso que desviam a atenção. Muitas dietas e festas são desatendidas, por exemplo, a sensação de vulnerabilidade. Parecer sempre forte é muito difícil se você não engordar atrás dos quilos …

2. Não lute contra o seu corpo
Quando você entende que você não pode resolver seus problemas através da comida, procure ajuda . Ele acha que depender da comida como o único meio de gratificação não é “melhor” do que pedir ajuda por um tempo. Nem você pode acreditar que você só precisa de força de vontade, porque quando você desiste de comer, torna-se uma obsessão.

Se você quiser ter “uma dieta ideal” para ter “o peso ideal” , as intenções são muito boas, mas os resultados são terríveis. Você tem que libertar-se dos grilhões da comida. Você tem que começar a ouvir o corpo sem lutar contra isso. Cuide dele quando estiver cansado, nutra-o se estiver com fome e ame-o quando precisar de afeição.

3. Verifique suas faltas emocionais
Se você come sem fome, o mais provável é que você exagere, porque você estará sob os efeitos da “fome emocional”, que é exatamente o que você não controla. Verifique suas emoções e você reconhecerá porque seu cérebro o leva para comer assim.

E deixe-se guiar livremente pelos desejos: um prato quente? Algo leve? Doce ou salgado? Permita que seu desejo seja satisfeito, dê a si mesmo esse prazer. E simplesmente pare de comer quando achar que é “suficiente”. Assim, você será capaz de reconhecer seu nível de satisfação de fome emocional e fome real.

4. Alie-se com o seu cérebro
Tente fazer uma mudança mental, de você e da sua imagem . Compartilhe seus assuntos com seus amigos mais próximos, em vez de compensar os problemas pulando nas barras de chocolate. Às vezes, é a necessidade de comunicação e o carinho insatisfeito que nos induz a comer.

Tenha em mente a imagem “ideal” de você mesmo , aquela que você quer alcançar. Você visualiza e seu cérebro se torna um aliado e seu corpo vai querer torná-lo realidade. Pouco a pouco, você deixará para trás o fato de alcançar a satisfação efêmera através de uma farra.

5. Ame-se mais antes de uma compulsão
Enquanto você está fazendo o processo, se você cair em uma farra sem qualquer controle, a última coisa que você tem que fazer é se odiar pela sua “fraqueza” . Está feito: aproveite agora os sabores, as texturas, a cor e o aroma do que está trazendo à boca. É um bom recurso para parar de “devorar”.

E não se envergonhe, porque você não fez nada de errado . Após o banquete, seja gentil com você mesmo, perdoe a si mesmo e, em nenhum caso, você se privará de comer no dia seguinte ou pule refeições para compensar. Se você recorrer mais tarde, para se punir, para dietas jejum ou drásticas, é mais provável que pelo menos você pense que voltará à compulsão.

6. Visualize seu novo estado ideal
Coma como se você se sentisse magro e fizesse isso à vista de todos. Como se você já tivesse alcançado seu peso ideal, seu cérebro ajudará a alcançá-lo. Prepare algo que você goste muito, faça com cuidado e dedicação e sente-se quieto na mesa. Quanto mais atenção você dedica à preparação da comida, mais consciente você vai fazer este momento.

E sempre sentado à mesa. Sentar-se para comer significa “decidir” comer: saber o que você está fazendo, ver o que vai levar à boca, relacionar-se de maneira próxima e natural com a comida.

7. Enquanto você come, apenas coma
Elimine todas as convicções que causam “obesidade mental” reeducando sua mente. Quanto mais fácil você acha que é perder peso para você, mais fácil será. Use a palavra para reprogramar sua maneira de pensar. E não se entretenha assistindo televisão ou lendo o jornal ou tocando música.

É importante aproveitar os sentidos enquanto você come . Quando você come, come. Encontre um ambiente agradável e confortável e evite o estresse enquanto você come.

8. Mude de dentro para fora
É importante que você tenha em mente a mudança que está ocorrendo . E que essa mudança é de dentro para fora. Quando você verifica suas emoções, que seu cérebro visualiza a nova imagem, o corpo torna-se realidade.

Torne esta imagem um hábito, lembre-se disso ao longo do dia. Você verá como está mais consciente do que coloca na boca, sem se enganar.

Leia também: Neosaldina para sua dor de cabeça

Vá em frente e faça um diário. Anote seus sentimentos, sentimentos, desejos … Escreva e viva, em vez de “engasgar” com o que você gostaria de eliminar da sua vida.

9. Nutrir a mente e o corpo
Cada alimento não apenas nos fornece nutrientes, mas também nos dá energia, nos afeta emocional e cognitivamente e tem muito a ver com nossas reações.

Uma maneira de se tornar consciente é perguntar como seu corpo recebeu cada um dos pratos que você ofereceu. Como você reagiu à salada, à paella, ao bolo? Quais os que mais lhe satisfizeram ou lhe deram o maior grau de bem-estar? Quais você quer tentar novamente? Isso ajudará você a criar um novo relacionamento com a comida.

Fonte: https://www.valpopular.com/neosaldina-para-sua-dor-de-cabeca/

COMO EMAGRECER COM SAÚDE

O calor está chegando e com ele, os shorts e os tops. O problema é quando experimentamos nossas calças e vemos pernas enormes, grandes e desproporcionais. A nossa primeira ideia é entrar no ginásio e juntar-se a tantas pessoas que iniciaram a operação do biquíni. Mas não fique sobrecarregado, porque encontramos maneiras diferentes de obter pernas finas. Continue lendo e descubra o que encontramos.

Leia também: Womax gel lipo funciona 

como-para-perder-pernas
ÍNDICE DE ARTIGO [SHOW]

Como perder as pernas | Pernas grandes
Quantas vezes encontramos garotas na academia dando as pernas uma cana ?, mas não fazendo agachamentos ou lunges, mas com milhares de repetições com peso como exercícios para perder peso nas pernas. É normal querer perder peso, especialmente se vemos enorme e desproporcional ao corpo, mas, acredite ou não, as máquinas não vai ajudar a reduzir centímetros pernas.

Nós não dizemos que o fisiculturismo é ruim, apenas não faça o certo. Você pode estar fazendo dieta e exercício, mas se as pernas não baixarem, talvez haja algo mais para trás.

Temos que levar em conta primeiro o tipo de perna. Naturalmente, uma perna grande não é o mesmo que uma perna grande, porque tudo depende do tipo de treinamento, da dieta e de como o seu corpo responde.

Se sua perna é grande, mas a pele é firme, as coxas e a perna estão bem definidas, o joelho está marcado e você também tem força nas pernas … O tamanho das pernas é o músculo. Você tem muito músculo Não é ruim, mas se te incomoda tanto, continue lendo para descobrir os remédios.

Se, por exemplo, a perna é grande, é um pouco macia, quase inchada e as partes da perna não estão bem definidas ou firmes, a perna é grande por causa da gordura e dos líquidos que você retém. Você também tem que continuar lendo abaixo, para remediá-lo.

Como perder as pernas | Métodos
As pernas grandes não saem do nada, elas saem para alguma coisa, seja treinando, alimentando, retendo líquidos, o tamanho é modificado sim ou sim. Por esta razão, vamos dar-lhe uma série de métodos com os quais você pode reduzir o volume de suas pernas. Vamos ver como podemos deixar as pernas mais estilizadas.

Como perder peso – exercícios de força
Como-para-perder-pernas-força-exercícios
Para comer toda a gordura das pernas, a gordura que você tem em torno de suas pernas, você tem que fazer musculação. Quando você cria mais músculo, mais gordura deve ser consumida pelo seu corpo para manter os músculos vivos. Não pense que você vai colocar sua perna como um saco de batatas. Você vai ver mais muco estilizado.

Você pode fazer agachamentos e mais exercícios onde seu corpo está comprometido a mudar, com os melhores exercícios para as pernas.

Como perder as pernas – correndo
Exercícios de cardio são importantes. Trata-se de promover a eliminação da gordura, mas para isso, devemos ter feito algum fisiculturismo antes, para não ficar 20 minutos esperando o corpo queimar gordura.

Se, por exemplo, você quiser eliminar a gordura com mais eficiência, não corra, ande com calma. Você pode dar um passeio de duas ou três horas, onde a única coisa que você queima é gordura. Mas lembre-se de fazê-lo em silêncio, porque o que você deve fazer é queimar gordura com um exercício que terá pouca intensidade.

Como perder as pernas para correr
Outro exercício perfeito para queimar gordura exclusivamente é cardio hiit, onde você acerta sprints e corre o máximo que pode, como se estivesse sendo perseguido por um leão.

-hiitObligarás Cone-thin pernas prazo para crescer seus músculos e seu corpo você vai comandar sinal que você deve correr mais rápido ou você come, então você vai começar a se livrar da gordura que não atendê-lo, porque não vai ajudá-run rápido

Como perder as pernas – com bicicleta
como-perder-as-pernas-bicicleta
Com a bicicleta, você fará o mesmo exercício de quando correr, mas sem ter que sofrer o peso das articulações, caso sofra delas.

Você pode fazer isso da maneira que indicamos, andando tranquilamente o tempo que quiser, por trilhas e ruas onde você pode pedalar continuamente, mas muito calmo, com sua música favorita.

como-perder-as-pernas-bicicleta-hiit
Você também pode fazer o mesmo tipo, com uma bicicleta de ginástica, onde você coloca vários segundos correndo na máquina e, em seguida, pare ou pedale suavemente para manter as pernas ativas.

Como perder peso – com massagens
Como-perder-as-pernas-massagem
Nós amamos massagens e mais, se eles estão nas pernas, para relaxar e ser capaz de tê-los relaxados. Mas as massagens para as pernas, se você quiser reduzi-las, não serão nada relaxantes. Eles tendem a doer porque enfiam os dedos nos músculos através da gordura até a fadiga, relaxam e mobilizam toda a gordura que envolve o corpo.

Fonte: https://www.valpopular.com/womax-gel-lipo-funciona/

7 dicas para mudar seus hábitos e emagrecer! Dicas simples que podem te ajudar!

7 dicas para mudar seus hábitos e emagrecer! Por Melissa Ao contrário do que muita gente pode pensar, emagrecer e conquistar mais saúde não requer mudanças drásticas. Pequenas alterações na rotina já são suficientes para você atingir essas metas. Pensando nisso, selecionamos algumas dicas práticas e eficazes que favorecem a queima calórica sem prejudicar o organismo.

7 dicas para emagrecer
1) Refeição saudável

O café da manhã é a primeira refeição após uma noite de sono. Neste período, você gasta energia, ainda que em quantidade menor do que quando está acordado. Por isso, é importante fazer esta reposição de nutrientes ao acordar, para que seja possível desempenhar todas as atividades diárias. “Um desjejum equilibrado deve conter pelo menos uma porção de carboidratos como pães ou cereais, preferencialmente integrais; uma porção de leite ou derivados como fonte de proteína e cálcio; e uma porção de frutas ou suco, que oferece minerais, vitaminas e fibras”, afirma a nutricionista Cristina Diestel.

Saiba mais: Kifina emagrece

2) Coma antes de sair de casa!

Prepare-se com antecedência para eventos especiais e situações que podem colocar seu emagrecimento em risco. Se for a uma festa no sábado, controle-se mais no decorrer da semana ou coma algo leve antes de sair de casa – como uma salada -para não chegar ao local com muita fome. No mercado, use uma lista durante as compras e jamais vá para lá com o estômago vazio: essa atitude pode induzir a comprar alimentos desnecessários ou calóricos demais, como guloseimas.

3) Mande a preguiça embora

Se você gosta de atividades físicas ao ar livre, pode optar por caminhadas ou vôlei de areia, mas se você pertence ao grupo de pessoas que adoram academias, tem a opção de fazer musculação ou dança. Um coisa é certa: são inúmeras possibilidades de exercício, sendo que todas trazem uma série de benefícios à saúde.

4) Atenção às suas refeições

Quando estiver com muita fome, preocupe-se com a qualidade do que vai comer. Normalmente, as pessoas se esquecem dos hábitos saudáveis e se rendem ao ingredientes mais calóricos, já que a sensação de barriga vazia é incômoda e faz a consciência se perder um pouco. Para evitar que isso aconteça, procure deixar legumes e verduras já lavados e semiprontos, além de carnes leves, como o frango, descongeladas e temperadas. Assim, fica mais fácil preparar sua refeição de forma saudável e rápida.

5) Prato colorido

O pigmento dos legumes, frutas e grãos está relacionado à presença de determinadas substâncias benéficas para o organismo, as quais desempenham papeis diferentes para o corpo. Assim, só pela cor, é possível saber o que aquele alimento fornece de benefícios ou malefícios à saúde. Portanto, é importante adicionar mais cores na combinação branco (arroz) e marrom (feijão e carnes) e apostar em legumes e verduras nas refeições, a fim de evitar deficiências nutricionais e doenças.

6) Mastigue bem

Pode até não parecer, mas mastigar bem os alimentos faz toda a diferença no processo de emagrecimento. “Um dos principais pontos da reeducação alimentar está na primeira fase da digestão, ou seja, na mastigação. É também com ela que o mecanismo de saciedade é acionado, fazendo, portanto, com que a ingestão calórica seja mais equilibrada durante a alimentação. Se você se alimenta com calma, ativa o mecanismo de saciedade e se satisfaz com menos quantidade de alimento, o que contribui para o processo de perda de peso“, revela a nutricionista Paula dos Santos Ribeiro.

7) Beba água

Segundo uma pesquisa da Universidade Charité de Berlim, a ingestão de água acelera o processo de emagrecimento. Os cientistas alemães comprovaram que beber um litro do líquido a mais por dia dá a sensação de saciedade e acelera o metabolismo, queimando mais calorias.

Chá de gengibre: como fazer

Fazer chá de gengibre é muito simples e traz diversos benefícios para a saúde
Chá de gengibre

O gengibre é muito conhecido por amenizar gripes, resfriados, dores de garganta e de estômago, além de ser um aliado em dietas voltadas para o emagrecimento. Saiba mais na matéria: “Conheça os benefícios do gengibre”. O chá de gengibre é uma das formas mais fáceis de consumir o alimento e pode ser feito tanto com a raiz fresca quanto com sua versão em pó.

Caso queira utilizar o gengibre em pó, é preciso tomar cuidado com a proporção, já que o pó é mais forte que a raiz fresca. Uma colher de sopa de gengibre fresco equivale a um quarto de colher de chá da versão em pó. Mas cuidado para não exagerar: o uso diário do gengibre não deve ultrapassar 3 gramas.

Leia também: chá de gengibre como fazer

O gengibre é um alimento termogênico, ou seja, que aumenta a temperatura do corpo e acelera o metabolismo. Por isso, se consumido em excesso, ao invés de ajudar, o chá de gengibre pode causar problemas estomacais, como vômitos, diarreia, enjoo, irritação no estômago e gastrite. A combinação com cafeína piora ainda mais o quadro.

O chá de gengibre é contraindicado para pessoas que já têm problemas de estômago, como gastrite e úlceras, e para hemofílicos, que têm problemas de coagulação, pois a raiz estimula a circulação sanguínea. Indivíduos com cardiopatia, hipertensão, hipotireoidismo ou diabetes também devem consultar um médico antes de fazer uso constante desse chá.

Para a maior parte das pessoas, no entanto, o consumo de gengibre traz diversos benefícios à saúde, sendo um remédio eficaz contra gases, gripes e inclusive colaborando para uma vida mais longa. A raiz é usada inclusive no Chá da Longevidade, receita tradicional da ilha de Okinawa, no Japão, feita com açafrão e gengibre.

Veja a receita de como fazer um chá de gengibre simples:
Ingredientes:
2 cm de gengibre fresco picado em pedaços pequenos
Ou: 1 colher de chá de gengibre em pó
1 litro de água
Modo de preparo:
Junte todos os ingredientes e deixe ferver por entre 5 e 10 minutos. Beba quente ou gelado. Se quiser, você pode coar os pedaços de gengibre.

É possível acrescentar outros ingredientes para variar o sabor do chá, como limão, canela (que aumenta ainda mais o potencial termogênico do chá), mel e até folhas de hibisco. Saiba mais na matéria: “Como fazer chá de hibisco: dicas para preparar receitas saborosas”.

Fazer chá de gengibre é muito simples e a receita básica pode ser incrementada com várias misturas. O gengibre aumenta a queima calórica e pode ser usado até para fazer um isotônico caseiro. Saiba mais na matéria: “Conheça o switchel, a bebida isotônica que pode ser feita em casa”.

FAÇA EM CASA: CUBINHOS DE GELO COM SUCO DETOX

Como fazer cubinhos de sucos detox para facilitar no dia a dia.

Os sucos detox estão super em alta! As inúmeras promessas de desintoxicar, atuar a favor da pele e de toda a saúde convencem qualquer um a se aventurar nessa moda. Mas não é todos os dias que nós temos tempo de preparar um suco detox fresquinho. Para você que busca praticidade, trouxemos uma dica: cubinhos de gelo com sucos detox!

Leia também: Phytophen funciona

Batendo as folhas verdes com um pouco de água, consegue a mistura que serve como base para o suco detox. Assim, é só acordar, pegar os gelinhos, bater com frutas e água de coco e o suco está pronto! Continue acompanhando o post para descobrir como fazer.

Leia também: Farinha seca barriga funciona

Para o gelo de couve você vai precisar de:

1 maço de couve
1 maço de hortelã
Água

Modo de fazer: Coloque tudo no liquidificador e bata. Se você preferir, pode retirar o talo da couve e da hortelã. Adicione a água aos poucos para que a mistura fique consistente. Quando estiver pronto, coloque numa forminha, leve ao congelador e pronto!

Leia também: Max Detox comprar

Se você quiser pode adicionar outros ingredientes para turbinar o suco, como cenoura, morango, manga, laranja e salsinha.

Agora é só preparar a mistura para o suco detox. Você pode colocar:

2 cubos de gelo de couve
1 maçã
1 rodela de gengibre
Suco de 1 limão
1 copo de água de coco
O suco pode ser ingerido durante o café da manhã e não leva nem cinco minutos para ficar pronto! Todos os ingredientes você encontra no Carone.

Leia também: Kifina funciona

Tipos de Dieta Low Carb: Do Paleo ao Slow Carb

Há vários tipos de dieta low carb: Paleo, Cetogênica, Atkins, Slow Carb, Whole 30 e assim por diante, mas você conhece todas elas? Sabe qual é a melhor para o seu caso?

Buscando explicar melhor cada uma delas para que você veja qual é o melhor método para acompanhar o seu dia a dia, defini os mais importantes nesse artigo.

Todos os métodos abaixo funcionam pelo mesmo motivo: a restrição de carboidratos. Por isso mesmo todos são considerados low carb.

Algumas têm períodos mais restritos e, depois, mais abertos, mas todas diminuem o consumo de carbos, especialmente os que provêm de processados.

Leia também: Farinha seca barriga funciona

Nenhum deles precisa manter uma regra fechada: Dá para fazer uma dieta Paleo com mais restrição de carboidratos para ser cetogênica, por exemplo. Tudo vai depender do seu objetivo de peso e do que te agradar mais.

Leia também: comprar E-book 101 Receitas Low Carb

Quem defende este tipo de alimentação argumenta que fazem poucos séculos que começamos a introdução da agricultura e que o corpo do ser humano está adaptado ao que comíamos no paleolítico.

Um dos nomes famosos nesse tipo de dieta é Robb Wolf, pesquisador da área.

O criador desse conceito nutricional foi Stanley Boyd Eaton, radiologista que escreveu o documento Nutrição Paleolítica e conquistou adeptos como Loren Cordain, médico que escreveu o famoso livro A Dieta do Paleolítico, assim como Mark Sisson e seu best-seller The Primal Blueprint ou Energia Paleo, em português.

O que comer? Ou seja, no Paleo é possível comer: carnes de todos os tipos, frutas, vegetais, castanhas e sementes, ovos, azeite de oliva e demais óleos mais saudáveis, assim como tubérculos.

Para beber, invista principalmente na água. Café e chás também são permitidos.

Deve se evitar comer no Paleo: Açúcar refinado, grãos e cereais em geral, laticínios (o leite está nessa também), leguminosas, óleos vegetais polinsaturados como os de soja e milho, gorduras trans, processados em geral.
Dentre os benefícios deste tipo de estratégia alimentar se encontram:

Leia também: Kifina funciona

O controle da glicose e dos níveis de insulina no sangue;
Acabar ou pelo menos restringir os processos inflamatórios gerados por alergias ao glúten, lactose e demais produtos restritos na Paleo;
Manter uma alimentação super nutritiva e saciante;
Auxiliar no emagrecimento;
Reduzir o risco de doenças cardíacas;
Trazer mais energia para o dia a dia.
Para saber mais benefícios da dieta Paleolítica, veja o que Robb Wolf escreveu aqui.

Na Paleo é possível manter o Jejum Intermitente como estratégia de emagrecimento também.
Neste tipo de dieta você pode ou não manter ela baixa em carboidratos, a qualidade de vida será igual em ambos os casos.

Leia também: Phytophen funciona

EBOOK GRÁTIS! CAFÉ DA MANHÃ LOW CARB

Cadastre-se para receber GRÁTIS um ebook com Dicas e Receitas para um Café da Manhã Low Carb que emagrece e alimenta!

Seu email aqui

Quero o ebook!
Você receberá no seu email o link para baixar o ebook grátis

Tipos de Dieta Low Carb | Atkins

Esse tipo de abordagem alimentar foi criada pelo cardiologista estadunidense Robert Atkins nos anos 70.

Nela você passa por 4 fases: a de indução, perda contínua de peso, pré-manutenção e manutenção.

Indução, que é a fase onde se restringe a ingestão de carboidratos a no máximo 20 gramas por dia, por um período mínimo de 14 dias que pode ser estendido caso se tenha muito peso para perder.

É um dos momentos em que se perde mais peso e é aconselhado para quem tem 10kg ou mais a perder.

Perda contínua de peso, onde se incorpora aos poucos alguns tipos de carbos (primeiro, mais vegetais) de 5 em 5 gramas para ver como a balança reage.

Você adiciona 5 gramas, come essa quantidade de carboidratos diariamente durante algumas semanas, e vai adicionando mais de 5 em 5 gramas.

Essa fase se mantém até faltar 10kg para o seu peso alvo.

Pré-Manutenção, quando você segue aumentando a ingestão de carboidratos em 5 gramas, até encontrar a quantidade de carboidratos ideal para você comer diariamente sem ganhar peso.

Fique nessa fase até faltarem de 3 a 5 quilos para o seu objetivo.

Manutenção é a fase que dura para o resto da vida, onde é possível inserir alimentos mais ricos em carboidratos (como arroz, batata, feijões, frutas) em quantidades controladas (dentro do limite diário que você descobriu na pré-manutenção).

Você pode dar uma olhada nos alimentos recomendados ou não na Atkins aqui.

Quanto aos benefícios desse tipo de alimentação, não mudam muito dos que listei para a dieta Paleo: o emagrecimento e a saciedade são os mais importantes.

Foi através da Atkins que perdi 30kg em apenas um ano, mas essa história você pode dar uma olhada aqui.

Se se interessou por essa abordagem, te aconselho a ler o livro do dr. Atkins, A Dieta Revolucionária do Dr Atkins.

Tipos de Dieta Low Carb | Cetogênica

Tem muito peso a perder? Quem sabe a dieta cetogênica ou keto, como alguns chamam, seja para você.

Ela nada mais é que a fase de indução da Atkins por tempo indeterminado, auxiliando na queima de gordura de forma acelerada.

Manter o consumo de carboidratos líquidos (carboidratos totais menos fibras) baixo, em cerca de 25 a 20 g diárias, leva o corpo a entrar em cetose, passando a queimar a gordura corporal mais rapidamente.

Não, não é necessário se manter em cetose para ter resultados satisfatórios quanto ao emagrecimento, por isso que é sempre falado: uma dieta cetogênica é low carb, mas nem toda alimentação low carb é cetogênica (e nem precisa ser!).

Essa abordagem é interessante para quem:

Tem muito peso a perder;
Está com dificuldades para perder peso;
Quer perder peso de forma rápida.
O consumo de macronutrientes nesse tipo de dieta gira em torno de 60 a 80% de gorduras naturais, 15 a 30% de proteínas e cerca de 5% de carboidratos, conforme cada pessoa e objetivo.

Saiba como usar o FatSecret para adicionar os alimentos consumidos e observar essas porcentagens diariamente.

Tipos de Dieta Low Carb | Whole 30

Desenvolvido em 2009 pelo casal Melissa e Dallas Hartwig, o Whole 30 é uma abordagem bem intensa e restrita.

Assim como em qualquer dieta low carb, há restrição de alimentos ricos em açúcar e amido, mas também nesse tipo de dieta não se pode consumir:

Álcool;
Laticínios (apenas a manteiga clarificada é permitida, por ser só a gordura do leite);
Açúcar e adoçantes em geral;
Produtos que contenham carragenina, sulfitos ou glutamato monossódico.
Caso a pessoa saia do que é permitido no Whole 30, deve iniciar a contagem desses 30 dias do início.

Outra regra é não se pesar ou tirar medidas nesse meio tempo, só ao iniciar o processo e depois dos 30 dias.

É possível ver as demais regras e restrições nessa abordagem alimentar no grupo brasileiro da dieta aqui.

A ideia principal é focar na qualidade dos alimentos, tirando do cardápio qualquer alimento que possa afetar a saúde de alguma forma.

Ao meu ver seria uma abordagem interessante se não trabalhasse com um prazo fixo de 30 dias e não fosse tão restritiva.

IMPORTANTE! Acho de extrema importância esclarecer que é necessário cuidado em mudanças e restrições intensas como esta, podendo levar à compulsão alimentar ou agravar um caso de compulsão já iniciado.

Tipos de Dieta Low Carb | Dukan

Essa dieta foi criada nos anos 1970 pelo nutrólogo Pierre Dukan e é rica em proteínas e baixa em carboidratos e gorduras.

Como tanto os carboidratos como as gorduras são restritas nessa abordagem, é mais restrito o cardápio e difícil de manter a alimentação Dukan por um longo período.

Há quatro fases dessa abordagem: duas de emagrecimento e duas de manutenção.

Leia também: O que é E-book 101 Receitas Low Carb

1# Fase de Ataque: Dura de 1 a 7 dias e tem o consumo liberado de 66 tipos de proteínas.

Nessa fase é necessário cortar praticamente todos os carboidratos e consumir uma colher e meia de sopa de farelo de aveia por dia.

2# Fase de Cruzeiro: Pode durar de 1 a 12 meses e mantém o consumo de proteínas igual, acrescentando mais 34 tipos de legumes e verduras ao cardápio.

Aqui são aconselhadas duas colheres de sopa de farelo de aveia ao dia.

3# Fase de Consolidação: Ela varia conforme a quantidade de peso perdida nas fases 1 e 2. Por exemplo, se você emagreceu 4 quilos, deve permanecer nessa fase por 40 dias e assim por diante.

Nela você come duas colheres e meia de sopa de farelo de aveia por dia, junto à carnes, algumas gorduras naturais e poucos carboidratos de vegetais.

Em um dia da semana o consumo, além da aveia, deve ser apenas de carnes magras.

4# Fase de Estabilização: Esse momento não tem um tempo limite para ser realizado.

Nele, você mantém o consumo de farelo de aveia em três colheres de sopa e vai, aos poucos, aumentando a quantidade de carboidratos do bem no cardápio, junto às proteínas e gorduras.

Em todas as fases é importante adotar uma rotina de exercícios, como caminhadas, de 20 a 30 minutos por dia.

Tipos de Dieta Low Carb | Slow Carb

Criada pelo autor do livro 4 Horas para o Corpo, Timothy Ferriss, nesse tipo de dieta você corta o consumo de carboidratos brancos, como a farinha de trigo, batata e açúcar, consumindo proteínas, gorduras naturais e carboidratos de vegetais e leguminosas.

Ferriss passa uma lista de alimentos a serem consumidos no período, mas no geral ela se compara à dieta Paleo.

A única diferença entre as duas é em relação ao dia do lixo e o consumo de leguminosas.

Na Paleo não é obrigatório manter um dia do lixo e as leguminosas não entram no cardápio e na Slow Carb, depois de seis dias regrados – consumindo leguminosas -, você pode sair da dieta.

EBOOK GRÁTIS! CAFÉ DA MANHÃ LOW CARB

Cadastre-se para receber GRÁTIS um ebook com Dicas e Receitas para um Café da Manhã Low Carb que emagrece e alimenta!

Seu email aqui

Quero o ebook!
Você receberá no seu email o link para baixar o ebook grátis

Tipos de Dieta Low Carb | LCHF

Baixa em carboidratos e rica em gorduras, significado de Low Carb High Fat (LCHF), já indica no nome esse tipo de alimentação que vimos no decorrer deste artigo: rico em gorduras naturais (azeite de oliva, manteiga, castanhas, manteiga, óleo de coco, abacate, entre outros), moderado em proteínas e com poucos carboidratos.

Não come carne? Veja como seguir uma dieta low carb vegetariana!

As abordagens alimentares citadas anteriormente se originam deste conceito, cortando a maioria dos processados e focando no consumo de comida de verdade.

Comendo quando se tem fome, sem comer de três em três horas – que é o terror das pessoas normais, vai dizer? – ou seja: o mais natural e tranquilo possível.

Massagem redutora – Passo a passo

A massagem modeladora é uma técnica bastante utilizada nos centros estéticos para reduzir a gordura localizada e ainda dar mais formato ao corpo. Mas você sabia que não é preciso sair de casa, nem pagar um profissional para fazê-la? Isto mesmo, basta você aprender os movimentos e investir em um creme hidratante, de preferência que possua propriedades que ajudem na redução das medidas.

Leia também: Kifina é bom

Já falamos no blog algumas vezes sobre a massagem redutora , e hoje você vai aprender novamente outras técnicas para fazer em casa e ainda conseguir ótimos resultados para conquistar a silhueta tão sonhada praticando a auto-massagem redutora corporal.

Leia também: massagem redutora funciona

Confira o passo a passo para fazer a sua auto-massagem:

Coxas e panturrilhas –
espalhe um pouco de creme nas mãos e comece a fazer os movimentos sobre as coxas, indo dos joelhos até a virilha, dando pequenos beliscões para apertar as regiões onde se localiza a gordura. Faça movimentos como se estivesse vestindo uma meia-calça, deslizando os dedos sobre a pele. Aplique bastante força.

Leia também: Phytophen é bom

Barriga –
coloque um pouco de creme nas mãos e aplique sobre a pele. Comece os movimentos circulares no sentido horário e depois anti-horário. Nas laterais, puxe os famosos pneuzinhos para o centro da barriga, depois massageie em direção ao ventre, para baixo.

Quadril –
nesta região também vamos empregar movimentos circulares, sempre usando o creme redutor de medidas como auxílio para que as mãos deslizem melhor e também os efeitos sejam enfatizados. Esses movimentos devem vir sempre do bumbum e direção aos culotes, onde é mais comum as gorduras ficarem localizadas.

Leia também: Farinha seca barriga é bom

Kombucha – o que é e quais os seus benefícios?

A Kombucha é uma bebida fermentada, que não dispenso da minha alimentação. Devo confessar que não fiquei fã da kombucha à primeira, achei uma bebida com um travo forte e muito gaseificada, mas à medida que ia provando marcas diferentes fui começando a apreciar e hoje não a dispenso.

Conhecida pelos chineses como o elixir da saúde, é uma bebida milenar obtida pela fermentação do chá, preto ou verde, e açúcar. Após a fermentação a kombucha transforma-se numa bebida gaseificada repleta de vitaminas, enzimas, probióticos e ácidos com muitos benefícios para a saúde:

Leia também: o que é Kombucha

1. Sistema digestivo
Naturalmente antioxidante, a kombucha ataca os radicais livres capazes de provocar mal-estar digestivo. O elevado teor de ácidos benéficos, probióticos e enzimas também ajuda a combater o mal-estar digestivo.
Alguns estudos também comprovam que beber kombucha ajuda no tratamento da candidíase. As bactérias presentes na bebida ajudam o intestino a criar”bactérias boas”

Leia também: Phytophen funciona

2. Energia
A capacidade energizante da kombucha é atribuída à formação de ferro, libertado durante a fermentação do chá e de uma pequena quantidade de cafeína naturalmente presente.
O ferro presente na kombucha melhora o transporte do oxigênio no sangue. O consumo regular desta bebida faz com que os tecidos recebam mais oxigênio e a partir daí conseguem produzir mais energia.

Leia também: Kifina

3. Sistema imunitário
As vitaminas presentes na kombucha são os seus segredos para a proteção das células, doenças inflamatórias, depressão do sistema imunitário. Os probióticos presentes na kombucha fortalecem o sistema imunitário.

4. Protecção das articulações
Beber kombucha ajuda a prevenir e recuperar de lesões nas articulações. A glucosamina presente na kombucha preserva o colágeno e previne a dor nas articulações, além que o colágeno previne a aparição de rugas na pele.

5. Perda de peso
O consumo regular de kombucha estimula o metabolismo e limita a acumulação de gordura. A presença de ácido acético (também presente no vinagre de cidra) também ajuda a perder peso

Como beber kombucha
A versatilidade da kombucha é um dos seus pontos fortes, podemos beber a kombucha bem fresca simples, com umas pedras de gelo para que fique bem gelada, com sumo de fruta, ou em smoothies.

Na fotografia, apenas adicionei um maracujá para adocicar mais a Kombucha, mas outra forma e mais cremosa pode ser em smoothie, Basta triturar uma banana com outra fruta a escolha e juntar a kombucha.

As melhores atividades físicas para a mulher de cada idade

Musculação, corrida, dança? Profissionais sugerem tipos de exercícios mais indicados para sua faixa etária

Atualmente muito se fala sobre a importância de praticar atividades físicas como uma maneira de prevenir uma série de doenças, manter o corpo em forma e ter uma melhor qualidade de vida. E, há um bom tempo, aquela desculpa de “eu não gosto de academia” já não é mais válida para ninguém, pois existem inúmeras possibilidades para quem deseja se exercitar: atividades ao ar livre, na água, aulas de dança, lutas e muito mais.

Por isso, a orientação para qualquer pessoa é encontrar a atividade que mais lhe agrada e fugir do sedentarismo! Roberta Borges La Guardia, professora de Educação Física e Mestre em Treinamento Esportivo pela UFMG, ressalta que a melhor atividade física é aquela que a pessoa mais gosta, porque é a atividade que vai motivá-la a manter-se constante na prática.

Mas, se ainda assim, você está em dúvida sobre qual atividade física é mais adequada para você e para o momento em que está vivendo, algumas dicas podem ajudar! Abaixo, profissionais da área sugerem atividades indicadas para mulheres de diferentes faixas etárias. Confira!

De 12 a 19 anos

FOTO: GETTY IMAGES

Roberta explica que, assim como na infância, essa é uma faixa etária importante para a formação do hábito de praticar atividades físicas. “A prática regular proporciona um maior autoconhecimento corporal, o que facilita a lidar com esta sensação diferenciada, causada pelas alterações hormonais nesta idade. Além disso, a prática de atividades físicas melhora a autoestima, sensação muito importante nesse período de fragilidade emocional da mulher”, diz.

A professora de Educação Física acrescenta que, sempre que possível, na adolescência, deve-se realizar atividades físicas coletivas ou em ambientes que tenham mais pessoas – isso facilitará na socialização da adolescente.

Leia também: 10 exercícios que ajudam a perder a barriga

Leia também: Phytophen funciona
Leia também: Kifina funciona

Neste sentido, seguem algumas sugestões de atividades indicadas para esta faixa etária:

1. Jogos coletivos (basquetebol, handebol, voleibol)

Priscila Cesaria, profissional de Educação Física da Just Fit Academias, destaca que os esportes trazem grandes benefícios, entre eles: melhora do condicionamento físico, capacidade cardiorrespiratória, fortalecimento, perda de sobrepeso, aumento da flexibilidade e da coordenação motora. “Isso sem falar de benefícios psicológicos e sociais também, como autoconhecimento, aprender a lidar com as diferenças e adversidades, tomada de decisão, pró-atividade, entre tantos outros benefícios importantes”, diz.

“Porém, o mais importante é que as adolescentes gostem da atividade praticada. Tem que ser prazeroso, porque se a pessoa for obrigada a fazer algo, isso pode trazer outras consequências ruins”, acrescenta Priscila.

2. Danças

Leia também: 12 dicas para se manter motivada na academia

De acordo com as profissionais, aulas de dança também são ótimas opções para esta faixa etária.

“Pode ser dança de salão, jazz, rumba, zumba, forró, zouk, axé, entre outras. Existem academias que fornecem este tipo de aulas de forma muito animada e casas noturnas especializadas para que os ritmos possam ser praticados”, comenta Roberta.

3. Atividades aeróbicas (caminhada, corrida)

Jomar Souza, especialista em Medicina do Exercício e do Esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE), destaca que atividades aeróbicas em geral, como caminhada, corrida, ciclismo, natação, são indicadas. “Elas produzem um controle sobre a gordura corporal, evitando seu acúmulo, produzem endorfinas que ajudam a amenizar as cólicas menstruais e também melhoram o estado de humor e a autoestima”, diz.

De 20 a 29 anos

FOTO: GETTY IMAGES

Roberta destaca que, ao atingir a idade adulta, a preocupação com um corpo “em forma” muitas vezes torna-se maior. “Além disso, a mulher moderna trabalha e precisa de disposição para as atividades do trabalho diário”, diz. “Nesta fase (assim como na faixa etária dos 30 aos 39 anos), é comum a mulher procurar atividades físicas de maior intensidade e em locais onde ela se sinta bem, onde possam apreciar sua beleza e maturidade”, acrescenta.

Leia também: 20 melhores exercícios para perder peso

Priscila lembra que, antes de qualquer coisa, a atividade mais indicada é aquela que a pessoa gosta. “Toda atividade física traz beneficio, mas acima de tudo tem que ser prazerosa, caso contrário não gera assiduidade”, diz.

Nesta faixa etária, de acordo com Priscila, um ponto a ser levado em consideração é o objetivo de cada mulher. Nesse contexto, as profissionais dão algumas sugestões:

1. Musculação

De acordo com Priscila, a musculação é uma ótima opção especialmente para mulheres que estão buscando um “corpo malhado”.

Souza acrescenta que, nesta fase, é importante aumentar a massa óssea pensando não só na gestação (se for o caso), mas, também, em evitar a osteoporose no futuro. Neste sentido, é mesmo muito interessante associar a musculação com atividades aeróbicas (como corrida, pedalada etc.)

2. Corrida

Priscila destaca que se o objetivo da mulher é emagrecimento e condicionamento físico, uma ótima indicação é a corrida. Essa tem sido uma atividade praticada por muitas mulheres e oferece muitos benefícios à saúde. Isso sem falar que as corridas de rua possibilitam novas amizades, o que é interessante nessa e em qualquer fase da vida.

3. Pedalada

Para as mulheres que buscam emagrecimento e condicionamento físico, de acordo com Priscila, pedalar também é uma boa alternativa. É uma atividade gostosa, que oferece inúmeros benefícios à saúde, como, por exemplo, a sensação de bem-estar, além disso, possibilita conhecer novos lugares, ver lindas paisagens etc.

4. Natação

Esta também é uma boa pedida para quem busca emagrecimento e condicionamento físico. Roberta destaca que se engana quem pensa que atividades na água são de baixa intensidade e, por isso, indicadas a pessoas mais velhas. “A atividade pode ser controlada pelo professor de acordo com o ritmo da turma, podendo ser uma atividade de altíssima intensidade ou de baixa intensidade”, explica.

5. Pilates

Para as mulheres que buscam mais relaxamento e bem-estar, Priscila sugere atividades como, por exemplo, o Pilates.

Mas, muito mais do que promover relaxamento, esse tipo de atividade melhora a postura, ajuda a esculpir o corpo, ajuda a prevenir lesões etc.

6. Yoga

Outra atividade indicada para mulheres que buscam mais relaxamento e bem-estar, de acordo com Priscila, é o Yoga.

Bons motivos para praticar Yoga, com certeza, não faltam: ele melhora a qualidade de vida (promovendo bem-estar, serenidade e paz interior); proporciona equilíbrio emocional; melhora problemas de insônia e até de depressão; estimula a circulação sanguínea; diminui dores nas costas; melhora a postura; energiza o corpo e a mente etc.

7. Ginástica

De acordo com Roberta, aulas de ginástica, oferecidas em várias academias, fazem muito sucesso entre as mulheres. Alguns exemplos são: ginástica localizada, aulas para glúteos e pernas, aulas de abdominal etc.

8. Lutas

Aulas de Muay Thai, Boxe, Jiu Jitsu também têm feito sucesso entre muitas mulheres e, de acordo com Roberta, são uma boa indicação.

9. Tênis

Roberta destaca que a prática de esportes, como o tênis, por exemplo, também é indicada. Vale ressaltar, mais uma vez, que é muito importante a mulher se identificar com a atividade que escolher.

10. Circuito

No caso de pouco tempo, destaca Jomar Souza, existem academias especializadas nos chamados circuitos – onde se alia uma atividade aeróbica com exercícios de resistência muscular condensados em 30 minutos por dia.

11. Ginástica para mamães com bebês

Roberta ressalta que esta é ainda uma faixa etária em que muitas mulheres engravidam. “A gestação é uma fase delicada, de mais sensibilidade e que exige cuidados específicos. A atividade física pode e deve ser realizada, também nesta fase, com a ajuda de um profissional de Educação Física. Neste período não é indicado que se realizem atividades físicas de alta intensidade ou que tenha impacto”, diz.

Já no período pós-parto, acrescenta Roberta, a ginástica para mamães com bebês é uma oportunidade muito bacana de auxiliar no relacionamento com os filhos, na autoestima (que às vezes é reduzida neste período) e na disposição para cuidar do bebê. “Este tipo de atividade também pode ser uma ótima solução para as mamães que não têm com quem deixar a criança ou não tem muito tempo para ficar com o(a) filho(a). Esta relação pode ajudar a criança a ser mais ativa fisicamente e a confiar mais na mãe, além de proporcionar um momento de interação entre mãe e filho(a). Já existem algumas academias especializadas nesta área e o mercado tende a crescer”, diz.

De 30 a 39 anos

FOTO: GETTY IMAGES

Roberta destaca que as indicações são basicamente as mesmas que as dadas para as mulheres de 20 a 29 anos, “já que a mulher de hoje tem filhos mais velha e menopausa também mais tardia”, diz.

Neste sentido, as principais sugestões de atividades são:

1. Ginástica

As aulas de ginásticas hoje são oferecidas na maioria das academias e fazem muito sucesso entre as mulheres.

2. Lutas

Aulas de Muay Thai, Boxe, Jiu Jitsu também são oferecidas hoje em muitas academias e têm agradado cada vez mais as mulheres.

3. Tênis

O tênis é um esporte bastante indicado para as mulheres e oferece inúmeros benefícios à saúde, além de ser muito agradável e boa opção para quem prefere se exercitar ao ar livre.

4. Musculação

Priscila destaca que, nessa faixa etária (30 a 39 anos), o corpo não tem mais o mesmo vigor de antes. Na maioria das vezes, a flacidez começa a surgir e a flexibilidade começa a diminuir. “Muitas mulheres estão, então, preocupadas com a estética e com a qualidade de vida. Começamos a ter as primeiras perdas do ponto de vista físico, hormonal e metabólico”, comenta.

A musculação, de acordo com a profissional, é uma ótima pedida, pois melhora a parte estética, e também ajuda a retardar as perdas metabólicas, hormonais e físicas. “Ajuda a prevenir a osteoporose, artrose, diabetes e hipertensão”, explica.

A musculação também ajuda a melhorar a postura, acrescenta Priscila, pois a maioria dos casos de dores nas costas é relacionada à fraqueza muscular e à falta de flexibilidade. “Assim sendo, o trabalho com peso é indicado nestes casos, pois os músculos (que sustentam os ossos) se tornam mais resistentes”, diz.

5. Atividades aeróbicas (caminhada, corrida)

Novamente as atividades aeróbicas têm papel fundamental, conforme destaca Souza. “Agora mais ainda no controle dos excessos de gordura e na proteção da massa óssea”, diz.

6. Ginástica para mamães com bebês

No período pós-parto, se for o caso, a ginástica para mamães com bebês é uma ótima oportunidade. Auxilia no relacionamento com os filhos, na autoestima e na disposição para cuidar do bebê.

Conforme explica Roberta, este tipo de atividade também pode ser boa dica para as mamães que não têm com quem deixar a criança ou não tem muito tempo para ficar com o(a) filho(a).

De 40 a 49 anos

FOTO: GETTY IMAGES

Roberta explica que, nesta idade, o organismo já começa a passar por uma desaceleração metabólica e a atividade física ajuda a manter a disposição do dia a dia, o bom funcionamento do organismo, a autoestima e a qualidade dos movimentos.

Algumas sugestões de atividades para esta fase são:

1. Caminhada

Priscila destaca que, na meia-idade, são indicados programas de natureza aeróbia e muscular de intensidade pelo menos moderada, 30 minutos por dia, 3 a 5 dias por semana. E um ótimo exemplo é a caminhada.

Roberta ressalta que a atividade física mais comum nesta idade é a caminhada, por ser barata e dar a oportunidade da mulher mesma poder cuidar do seu tempo. “Mas isso não quer dizer que esta atividade exija menos cuidado e dispense o acompanhamento de um profissional de Educação Física”, alerta.

2. Musculação

Priscila destaca que a musculação continua sendo uma boa pedida para mulheres desta faixa etária, “pois ajuda a retardar as perdas metabólicas, hormonais e físicas. Ajuda a prevenir a osteoporose, artrose, diabetes e hipertensão e ela pode ser praticada em menor intensidade e com cargas moderadas, dependendo das particularidades de cada mulher”, diz.

Souza sugere continuar as atividades aeróbicas e aumentar os exercícios de resistência muscular. “Nesta fase muitas mulheres começam a fazer reposição hormonal e para evitar possíveis efeitos colaterais, como acúmulo de gordura corporal e alterações cardiovasculares, os exercícios físicos têm papel fundamental”, diz.

Acima de 50 anos

FOTO: GETTY IMAGES

Roberta explica que, acima dos 50 anos, o organismo começa a tornar-se mais frágil, mas a atividade física regular ajuda principalmente a evitar a desaceleração metabólica, a perda de massa muscular, auxilia na qualidade dos movimentos e, com isso, ajuda a evitar lesões.

Em geral, os objetivos da realização de atividade física regular para a população a partir desta faixa etária são, conforme destaca a professora Roberta:

Manutenção da Saúde;
Manter e/ou restaurar a independência básica para as atividades de vida diárias;
Aliviar a dor;
Prevenir e corrigir deformidades;
Manter a mobilidade articular necessária para a realização de atividades básicas;
Recuperação ou manutenção do equilíbrio e coordenação motora;
Melhorar e manter e trofismo e tônus muscular;
Melhorar capacidade cardiorrespiratória;
Redução de triglicerídeos;
Redução da pressão arterial;
Redução da tendência à arritmia pela diminuição da sensibilidade à adrenalina;
Aumento da sensibilidade das células à insulina;
Estímulo ao aumento da velocidade das respostas hormonais e imunológicas;
Redução da gordura corporal devido ao maior gasto calórico;
Tendência à elevação da taxa metabólica pelo aumento da massa muscular;
Atua na profilaxia de doenças melhorando os fatores de risco para o desenvolvimento de diversas patologias.
Neste sentido, seguem algumas sugestões de atividades mais indicadas para esta faixa etária:

1. Atividades na água (como hidroginástica, natação)

Nesta idade, conforme destaca Roberta, não é indicado que se realizem atividades de alto impacto, já que a densidade óssea torna-se menor e isso poderia causar lesões. “Por isso, é muito comum encontrarmos mulheres realizando atividades na piscina, já que no ambiente aquático o impacto torna-se reduzido. Hidroginástica e natação são as atividades mais procuradas, mas hoje também são apresentadas atividades de corrida e de bicicleta na água”, diz.

Priscila ressalta que a natação e a hidroginástica são agradáveis e seguras. “E também são atividades aeróbias que ajudam no condicionamento físico, na parte respiratória e cardiovascular”, diz.

2. Musculação

Muitas mulheres nesta faixa etária têm aderido também à musculação que, de acordo com Priscila, é uma atividade que reforça toda a estrutura corporal.

Souza ressalta que é interessante manter os exercícios aeróbicos, inclusive os de impacto como a corrida, desde que não haja problemas nas articulações dos quadris e joelhos, e os de resistência muscular para reduzir o risco de fraturas por conta de uma provável osteopenia e possível osteoporose.

3. Treinamento Funcional

Outra atividade muito procurada, segundo Roberta, é o Treinamento Funcional. Existe, atualmente, vários profissionais de Educação Física trabalhando com essa área. “Este tipo de treinamento é específico a esta faixa etária e auxilia as pessoas a manterem o tônus muscular e elasticidade muscular, além de uma boa flexibilidade das articulações e, com isso, os movimentos necessários para uma independência diária com qualidade de vida”, diz.

Roberta acrescenta que não é comum encontrarmos mais pessoas idosas que são dependentes dos familiares… “A população atual tornou-se mais velha e com boa qualidade de vida. A idosa de hoje se encontra com as amigas no clube, sai para jantar com a família, vai a shows, viaja e brinca com os netos. E, neste contexto, a atividade física regular ajuda a manter toda esta disposição”, diz.

4. Dança de salão

Que tal apostar ainda na dança de salão?! “A dança oferece benefícios que podem ainda ser maiores nessa faixa etária, pois essa modalidade se encaixa perfeitamente às necessidades e condições dessa idade. É preciso melhorar a qualidade de vida, e nada melhor do que atividades físicas que trabalham o corpo e a alma”, destaca Priscila.

A profissional ressalta que a dança, como atividade física, ajuda no fortalecimento dos músculos, na respiração, no equilíbrio. “Também trabalha a questão social (já que geralmente é praticada em grupo), sendo assim, mantém a mente ativa e ajuda a prevenir quadros de depressão, que são mais frequentes a partir dessa idade”, diz.

Os principais benefícios das atividades físicas em geral

FOTO: GETTY IMAGES

Certamente não faltam bons motivos para se exercitar constantemente! Roberta explica que a atividade física regular é a que proporciona um maior número de benefícios. “Basicamente, podemos chamar de atividade física regular atividades físicas realizadas pelo menos 3 vezes por semana e pelo menos 30 minutos ao dia”, diz.

Os benefícios da atividade física regular são muitos e, como exemplo, Roberta cita alguns:

Controla o peso corporal: a prática da atividade física regular ajuda a gastar as calorias consumidas em excesso e que seriam guardadas em forma de gordura como fonte de energia para manter o corpo em movimento, ou mesmo, a metabolizar a gordura já acumulada. “Combinar exercícios físicos aeróbios e anaeróbios ajuda a metabolizar diferentes reservas de energia e, com isso, é o mais indicado para a perda de peso e para tonificar os músculos, ou seja, reduzir a gordura corporal”, acrescenta a professora de Educação Física.

Melhora a saúde cognitiva (mental): a atividade física regular ajuda na prevenção da ansiedade, estresse e depressão. “O corpo fica com mais energia, o que torna a pessoa mais autoconfiante e, com isso, mais feliz consigo mesma”, explica Roberta.

Melhora a saúde física: a atividade física regular melhora o funcionamento do organismo como um todo. “Isso porque aumenta a densidade óssea; melhora a tonificação muscular; melhora a postura e coordenação; aumenta a ventilação pulmonar; reduz a pressão arterial e a frequência cardíaca de repouso; melhora a ação do sistema imunológico e hormonal; melhora a flexibilidade das articulações, o equilíbrio e a resistência dos praticantes”, destaca a professora.

Previne problemas de saúde em geral: ajuda a prevenir, controlar e, algumas vezes, até a curar o risco de desenvolver doenças crônicas e agudas, como, por exemplo, diabetes, pressão alta, doenças cardiorrespiratórias, osteoporose entre outras. “Já existem estudos que comprovam a melhora de resistência até para o câncer”, acrescenta Roberta.

Os cuidados mais importantes na hora de se exercitar

FOTO: GETTY IMAGES

Independentemente da idade da mulher e do tipo de atividade escolhida, é muito importante que ela conte com orientação profissional para se exercitar.

Toda e qualquer atividade física tem que ser orientada por um profissional de Educação física, destaca Priscila. “O profissional da área é o único que vai saber avaliar e prescrever os exercícios de acordo com o seus objetivos e necessidades, saberá regular o volume, a intensidade e a carga de cada exercício. Passará todas as coordenadas, minimizando os riscos de acidentes”, diz.

Leia também: como queimar calorias

Roberta ressalta que a atividade física deve sempre ser iniciada em uma intensidade mais baixa para uma intensidade alta e, para que isso aconteça de forma adequada, é indispensável o acompanhamento de um profissional de Educação Física, independentemente da atividade física escolhida para a prática.

Além disso, acrescenta Roberta, a prática de atividade física regular deve estar sempre aliada a uma boa hidratação e alimentação. “Dependendo da idade e da condição física inicial, é necessário fazer uma avaliação médica e o acompanhamento de um nutricionista”, diz.

“Sem dúvida é importante também lembrarmos de que cada atividade física exige uma vestimenta e calçados adequados à atividade”, finaliza a professora Roberta.

Então já sabe: encontre uma atividade física que mais te agrade e usufrua de todos os benefícios que ela pode oferecer!